Tag Archives: Público

Nicaragua’s Canal and China Power

4 notícias/artigos interessantes:

5 de outubro 2013

The Economist

A man, a plan—and little else

NOT since the civil war of the 1980s have so many helicopters been clattering over remote parts of Nicaragua. But now the guys squinting down through the tree canopy are in suits: lawyers and business consultants from the United States, Australian engineers, British environmental auditors, even Chinese executives. Their per diems are being paid by Wang Jing, a Chinese businessman whose $40 billion quest is to build a canal from Nicaragua’s Atlantic coast to its Pacific one. (…)

22 de novembro 2013

Asia Times

Nicaragua canal boosts China power

Since it first opened in 1914, the Panama Canal has provided the primary shipping conduit linking the Pacific and Atlantic Oceans through the Americas. And in that time, it has also represented US dominance in the region. Even after the canal passed entirely into Panama’s control in 1999, the United States has maintained a strong military presence in the region, establishing its continuity as the region’s key economic and political player.

All that is about to change. (…)

12 de janeiro 2014

Blacklisted News

Nicaragua to start construction on Canal, rivalling Panama’s

(…)“The Nicaraguan government and HKND Group are pleased to confirm that canal construction work will begin as planned in December 2014,” Ortega announced alongside Chinese tycoon Wang Jing, whose group has been given a concession to manage the future shipping channel for 50 years, with the possibility to renew the contract for another 50. (…)

21 de janeiro 2014

Público

A Nicarágua vai ser serrada a meio para juntar o Pacífico ao Atlântico

(…)Maior ameaça ambiental no país.
Mas acresce outra importante polémica o impacto ambiental de tão monumental obra. A consultora britânica Environmental Resources Management (ERM) foi contratada pela construtora para averiguar as consequências de escavar um canal profundo através do Lago da Nicarágua, o maior lago de água doce da América Latina, e de talhar terras ancestrais indígenas até chegar ao mar do Caribe. E tentar compensar os danos. (…)

P.s. Este último artigo é um pouco plágio mas junta bastante informação.

Advertisements

Cine Paraíso vai reabrir como Cinema Ideal

O antigo Cine Paraíso, no Chiado, em Lisboa, vai ser remodelado para um novo projecto de cinema associado à produtora e distribuidora Midas Filmes.

A recuperação do cinema, que nos últimos anos serviu para exibir filmes pornográficos, será um projecto conjunto da Casa da Imprensa, proprietária do espaço, e da Midas Filme, responsável pela sua execução.

O antigo Cine Paraíso, anunciado agora como Cinema Ideal, vai passar por um “profundo trabalho de renovação e recuperação, de arquitetura e de equipamento de projecção de imagem e som”, explica a produtora em comunicado à agência Lusa.

A sala, descrita como “o mais antigo cinema de Lisboa”, está situada na rua do Loreto, junto à praça Luís de Camões, entre a zona da Baixa/Chiado e o Bairro Alto. “Aberto desde 1904, ele conheceu ao longo dos anos diversas designações – Salão Ideal, Cinema Ideal, Cine Camões e Cine Paraíso”, referiu a distribuidora.

Sem adiantar data de abertura, a Midas Filmes remete mais informações para uma conferência de imprensa nesta quarta-feira, 12h, na Casa da Imprensa, seguida de uma visita ao espaço do cinema.

O anúncio da renovação desta sala acontece dias depois do encerramento dos Cinemas King e da anunciada reabertura das salas do Saldanha Residence, ambas em Lisboa.

Via Público

O míudo que roubou duas pizzas médias, uma infantil e até gelatina, num total de 31,5€, ou 35€, não vamos mentir. Ilusões #2

Essa geração jovem e perdida, que rouba este tipo de bens sem necessidade… merecem ser condenados, castigados, ensinados! Sem dúvida alguma, sem dúvida alguma repito.

Num mundo paralelo: Continue reading O míudo que roubou duas pizzas médias, uma infantil e até gelatina, num total de 31,5€, ou 35€, não vamos mentir. Ilusões #2

E agora? Lembra-me, documentário de Joaquim Pinto e Nuno Leonel triplamente premiado em Locarno

“(…)venceu o Prémio Especial do Júri (antigo Leopardo de Prata) no 66.º Festival de Locarno, que terminou este sábado. A única longa-metragem portuguesa na competição internacional do festival italo-suíço recebeu ainda o prémio Fipresci e o terceiro prémio do Júri Jovem. “Orgulhoso”, a leitura de Joaquim Pinto sobre este palmarés de júris diversos é de que “o filme não pode ser restringido à sua temática”, mas não deixa de acreditar na importância social deste retrato.”

Via Público

Fantástica Israel..

http://www.ifamericansknew.org/history/maps.html

John Kerry desvaloriza anúncio de colonatos israelitas via Público

“O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, tentou desvalorizar a polémica em torno do anúncio de construção de colonatos judaicos em território ocupado feito por Israel em vésperas de nova ronda de negociação com os palestinianos.

O secretário de Estado disse que a acção era “de algum modo esperada” embora contrapusesse logo que os EUA consideram os colonatos “ilegítimos”.

Pedindo aos palestinianos para não “reagirem mal” ao anúncio de mais 1200 casas em colonatos (das quais 793 em Jerusalém Oriental), Kerry acrescentou que tudo isto mostra “a importância de chegar à mesa de negociações rapidamente”. “Penso que as questões que dizem respeito aos colonatos serão mais bem resolvidas quando se solucionarem os problemas da segurança e fronteiras”, disse. Esta era a questão que os palestinianos queriam ver discutida primeiro, Israel defendia uma discussão global.

Os negociadores palestinianos acusaram entretanto Israel de tentar sabotar as negociações – as conversações anteriores, há três anos, tinham falhado justamente por causa da recusa de Israel em prolongar o congelamento da construção nos colonatos.

Israel conta, no entanto, que a iminente libertação de 26 presos palestinianos, todos a cumprir pena pela morte de israelitas, seja suficiente como gesto de boa vontade para o início das negociações, que serão retomadas esta quarta-feira com as primeiras discussões sobre questões de substância – no anterior encontro, há pouco mais de duas semanas em Washington, foram discutidas questões do formato das conversações.

Kerry empenhou-se pessoalmente no reinício das negociações e conseguiu o que ninguém esperava – juntar os dois lados à mesa. Mas os primeiros passos das discussões mostram a grande dificuldade do processo.

A reacção do próprio executivo israelita às duas medidas – construção nos colonatos e libertação dos prisioneiros – mostra bem a posição delicada do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu. Um dos seus ministros, Naftali Bennett, participou nos protestos contra a libertação dos prisioneiros. Ontem, depois do anúncio das construções, outro ministro, Yair Lapid, disse que o anúncio era “um erro” e um “desafio desnecessário aos americanos”, ao “colocar paus nas rodas da paz – não é necessário e não ajuda o processo”. Bennett e Lapid não são uns ministros quaisquer: são os líderes dos partidos da coligação de Netanyahu. A saída de qualquer um implicaria a queda do Governo.

Por outro lado, Mahmoud Abbas é desafiado por um campo interno anti-negociações e sofre de um problema de falta de legitimidade: o seu mandato já expirou mas mantém-se na presidência da Autoridade Palestiniana pela impossibilidade de realizar eleições nos territórios palestinianos.”

Noutras fontes, a CNN especificamente:

Vídeo #1Vídeo #2 / Artigo

Oeiras vai ter seis espaços para graffitis

Câmara quer promover graffiti como forma de arte urbana – PEDRO CUNHA/ARQUIVO

Via Público

Autárquicas 2013

Fica, para os curiosos, o espaço do jornal Público com tudo sobre as autárquicas, está bastante conciso e com vários dados interessantes sobre os candidatos e os municípios.

Autárquicas 2013

Se alguém souber de plataformas semelhantes, agradeço.

Produção científica portuguesa duplicou, ranking mundial da difusão científica.

Universidade do Porto

“As universidades nacionais continuam a melhorar a sua prestação no ranking mundial de difusão científica da SCImago, um dos mais prestigiados a nível internacional. Há sete instituições entre as 700 melhores, sendo que todas conseguem resultados superiores aos registados há um ano, subindo entre 16 e 43 posições na lista divulgada esta semana. Na última década, a produção científica nacional contabilizada nesta publicação mais do que duplicou.

No ranking de 2013, a Universidade do Porto continua a ser a melhor representante nacional, tal como tem acontecido desde a primeira edição da lista. A instituição portuense surge agora no 242.º lugar, melhorando 27 posições relativamente ao ano anterior, fruto de um total de 13 mil publicações científicas. Nos primeiros 300 lugares da tabela SCImago também está a Universidade Técnica de Lisboa (273.º), que é a que menos cresce entre as principais instituições de ensino superior nacionais, subindo 16 postos.

O maior crescimento no ranking de 2013 é registado pela Universidade Nova de Lisboa, que sobe 43 lugares para a posição 612. Imediatamente a seguir está a Universidade do Minho — que só há um ano entrou na lista —, estando agora na posição 632 (melhora 36 postos). Entre as sete instituições nacionais na lista estão ainda a Universidade de Lisboa, na 485.ª posição (sobe 25 lugares), a Universidade de Coimbra, na 487.ª (melhora 35 posições), e a Universidade de Aveiro, no 524.º posto (sobe 29).

Ao todo, os investigadores nacionais publicaram, no período em análise, mais de 84 mil artigos científicos, o que representa um crescimento de 14 mil face ao relatório que a SCImago publicou no último ano. Se a comparação for feita a uma década, tendo como ponto de comparação a lista de 2009 — que contemplava artigos produzidos desde 2003 —, as instituições nacionais conseguem incluir mais quase 50 mil publicações científicas na lista, mais do que duplicando a sua produção científica.

Esta é a quarta vez que a SCImago produz este ranking, baseado em dados quantitativos relativos a publicações e citações de artigos, contabilizando os anos 2007 a 2011. Portugal coloca 37 instituições — mais oito do que há um ano — numa lista em que constam 2740 universidades e centros de investigação a nível mundial. No entanto, as restantes instituições aparecem abaixo da posição 1000 do ranking.

Nas primeiras posições não há grandes alterações face ao ano passado, destacando-se apenas a troca de posições entre o Consejo Superior de Investigaciones Científicas, de Espanha, que ocupa agora o 8.º lugar, e o norte-americano National Institute of Health. No primeiro lugar mantém-se o Centre National de la Recherche Scientifique (França), com mais de 215 mil publicações, seguido da Academia de Ciência da China e da Academia de Ciência Russa. A Universidade de Harvard (Estados Unidos) e o Instituto Helmholtz (Alemanha) completam o top 5 da lista de 2013 da SCImago.”

Via Público