Category Archives: Humor

What History Would Look Like If It Was Posted On Instagram

Via Boredpanda

Ver mais em Histagrams

Simpsons Animator Liz Climo Creates Incredibly Cute Animal Comics

Via Boredpanda

Tumblr

Especial para o pessoal de Moçambique: C4 Pedro substítuido por C3 Paraíso – Bo tem Nesquik

Obrigado ao Romeu e à Julieta da Margem Sul por me terem mostrado isto, ficarei eternamente grato por este momento.

Vai em especial para o pessoal que curtiu e ainda curte a noite moçambicana ao som de C4 Pedro, esqueçam-no, agora existe C3 Paraíso com o seu novo som:

Bo tem Nesquik

Um dos sete belgas detidos na Luz é polícia | nonsense

Pelo que li no Jornal Record  não foi permitida revelar a identidade nem a fotografia do polícia, contudo os restantes 6 belgas já foram soltos e estão neste momento a voltar para a prateleira do Continente do C.C.Colombo.

Fica a imagem dos suspeitos dentro do seu veículo.

João Nogueira Dias – Crónica sobre o circo e as autár(ti)cas

É quase isso: as autárquicas chegaram à cidade

Se dizes “autárticas” em vez de “autárquicas”, este texto não é para ti. Entra na máquina do tempo e avança para 2027. Esperamos lá por ti, na era em que todos os cidadãos dirão “autárticas”, depois de uma revolução perpetrada por uns gajos.

(Não posso revelar a identidade deles, senão, a revolução não terá lugar.)

A palavra “autárquicas” é, para alguns, tão difícil de dizer como “Maksim Alyaksandravich Bardachow”. Este nome existe e é de um jogador da selecção da Bielorrússia de futebol. Não sei por quê, mas se viesse jogar para Portugal, ainda não tinha posto os pezinhos no aeroporto e já teria nome: “Bardajolas”.

As autárquicas estão à porta. Não vale a pena esconderes-te: elas aparecem, de quatro em quatro anos, e soltam monstros que te vão perseguir. Parece uma lenda foleira da Transilvânia. Sem o Conde Drácula. Mas com vampiros.

Reza a lenda que os monstros se fazem anunciar com cartazes muito, mas muito, misteriosos. Como os daqueles circos manhosos que, quando chegam à cidade, te provocam pesadelos. Daqueles que têm gajos que parecem estar prontos a pegar na faca e a fazer estragos.

Tipo isto.

Mas não são só coisas más. Na altura das autárquicas, há brindes em todo o lado. Tantos como naquelas festas temáticas, em determinadas discotecas. Mas com uma ligeira diferença: a ressaca das autárquicas dura quatro anos.

Na campanha para estas eleições, famílias inteiras percorrem as ruas. São todos candidatos: o pai, a mãe, o tio, a prima, a prima gira, a prima quase tão gira, a vizinha do 5.º esquerdo e a do 10.º direito. Só não é a do 15.º esquerdo porque o prédio só tem dez andares. Fica tudo em família, como no filme “O Padrinho”. Com uma diferença: a banda sonora do filme é muito boa.

Há muito amadorismo: os cartazes são maus, as músicas são irritantes, os “slogans” são, por vezes, infelizes. Não se via tanto amadorismo desde que o Governo instituiu os “briefings” diários.

No meio disto tudo, há algo ilógico e injusto: tornou-se comum chamar “dinossauros” aos autarcas com muito tempo de mandato. A extinção dos dinossauros é atribuída à queda de um meteorito. Alguém acredita que os presidentes de câmara experientes se deixariam extinguir por acção de uma pedrinha?

Arranjariam logo uma forma de embargar o movimento do astro, mandariam a lei da gravidade para o Tribunal Constitucional e, caso tudo isto falhasse, telefonariam a um empreiteiro amigo, para que este lhes emprestasse umas bombas, com as quais explodiriam o meteorito.

Em último caso, teriam um “bunker” com oito quartos e uma piscina. Vista para o mar, não, mas uma das paredes estaria pintada de forma a criar esse efeito. Tudo se arranja com um telefonema. Como n'”O Padrinho”.

Via P3

Joking Bad: Watch Jimmy Fallon’s ‘Breaking Bad’ Parody

Depois de ter feito o mesmo com o Game Of Thrones: Mashable

Agora seguiu-se Breaking Bad: Mashable

Síria – Estados Unidos – Rússia

Ao andar pela CNN

vi o Ayatollah a ameaçar os Estados Unidos e

Não era suposto estar a aquecer tanto.

contudo sobre a Síria e as vontades ocidentais nada melhor que:

Daily Show Sep. 4

Manuel Almeida – o melhor candidato do país: PTP em Vila Nova de Gaia (ele merece)

Este senhor merece um post só para ele, foi das coisas mais bonitas que vi.

1º que tudo o vídeo.

2º o Partido Trabalhista Português

3º Saiu no SOL esta nóticia

Candidato do PTP a Gaia faz queixa à PJ

Infelizmente não encontrei o vídeo que ele se queixa.

4º Ele existe mesmo

Autárquicas 2013

5º Por fim

Candidato do PTP da Gaia critica opositores que recorrem a “palavras caras”

Sinceramente gostava de vê-lo por lá, ele admitiu, é sincero, tem uma lista fraca e ausente, não pode contar com ninguém para além do carequinha, do Hernâni, da filha e do grande amigo cujo nome se esqueceu, é honesto e não especula sobre o que quer que seja, tal como o Valete, sa foda à radio e a tv são muito pataqueiras, tem o seu próprio liricismo, todo no plural e low cost e está indignado como nós todos com a grande diferença de dizer categoricamente que é preciso é trabalhar! 

Manel não estamos no bota abaixo, ou melhor estamos, mas isso faz parte de nós, tugas, e quanto mais bota abaixo melhor para ti, aproveita para aparecer, nós rimo-nos da tua ignorância e tu podes tentar fazer dinheiro com a nossa.

Autárquicas: O melhor mesmo é rir da realidade. Tesourinhos e Manuel Almeida

O grande Manuel Almeida, primeiro que tudo.

Com as eleições autárquicas à porta, a 29 de setembro, os candidatos têm recorrido às redes sociais para as suas campanhas eleitorais. Nunca as autárquicas foram tão faladas na Internet, mas nem sempre por boas razões. Uma página no Facebook está a reunir os melhores momentos da campanha política.

Na página Tesourinhos das Autárquicas 2013, os cibernautas reúnem alguns dos cartazes ou frases de campanha que, na perspetiva de cada um deles, merecem uma gargalhada.

Veja alguns exemplos:

Manuel Almeida, candidato do PTP à Câmara de Gaia, queixava-se, na apresentação da sua candidatura, do facto de alguns elementos da sua lista não terem comparecido, afirmando “acho que escolhi mal a minha equipe”.

Lino Tavares Dias, candidato à Câmara de Marco de Canavezes, transformou o êxito de verão “I’ll follow you, deep sea baby” em “Eu, eu sigo, eu sigo o Lino“.

Também António Cardoso, candidato à Câmara de Vieira do Minho,optou por criar um hino para a sua campanha. Já Bruno Caetano transformou “Eu quero tchu, eu quero tcha” transforma-se em “Eu quero Bruno, eu quero já“.

Via Dinheiro Vivo

Uma entrevista de trabalho com os famosos Google Glass

A brincar a brincar irão de certo aparecer situações reais mais cómicas ainda.